Redação Afya - mar 16, 2022

Como sobreviver ao cursinho pré-vestibular

Não importa se essa é a primeira ou a sétima vez que você se matricula em um cursinho pré-vestibular: seu ano vai ser puxado de qualquer jeito. Muitas horas de estudo, finais de semana dedicados a simulados e uma lista interminável de exercícios, tanto das matérias que você gostava no Ensino Médio quanto daquelas que você preferiria deixar para trás. Mas, calma! Você já está quase na parte motivacional deste artigo, que nós escrevemos especialmente para te dar aquele gás neste início de ano.

Embora pareça que você está parado no tempo, essa fase da vida não é essencialmente ruim. Entrar em uma faculdade aos 17, sem ao menos saber se está no curso que realmente deseja, pode ser até mais desafiador a longo prazo. Portanto, aproveite 2022 para aprender mais sobre você, enquanto fica craque nos conteúdos que caem no Enem e em outros vestibulares. Abaixo estão algumas dicas de como sobreviver ao cursinho pré-vestibular com otimismo e leveza. Confira!

Leia bastante

Redações de vestibular, em especial a dissertação que precisa ser feita no Enem, são quase uma receita de bolo. Primeiro, deve-se criar uma introdução apresentando o tema segundo uma ótica problemática que será abordada no desenvolvimento. Depois, escreve-se pelo menos dois parágrafos argumentando objetivamente, com dados e referências reais, que suportem a perspectiva escolhida. Por fim, as últimas quatro ou cinco linhas são reservadas para concluir o texto, propondo uma solução.

No entanto, para além do modelo a ser seguido em busca da nota mil, você também precisa se preocupar em escrever um português correto, gramatical e ortograficamente falando. E, via de regra, apenas quem lê bastante é capaz de escrever com fluidez e tranquilidade, pois está em constante interação com palavras novas. Assim, ler qualquer gênero literário te ensinará muito sobre vírgulas e acentuação, e ainda ampliará o seu vocabulário, caso você decida incluir esta atividade no seu dia a dia.

Valorize os simulados

Acordar cedo em pleno sábado ou domingo para ficar quatro horas sentado em uma carteira resolvendo questões no cursinho não é o plano ideal de ninguém. É cansativo, demora um tempão e parece que emenda uma semana de aula na outra sem um minuto para espairecer. Mas, acredite, estes verdadeiros treinamentos, físicos e mentais, podem fazer toda a diferença quando você estiver de fato prestando vestibular.

À medida que fizer simulados, você aprenderá mais sobre o seu ritmo de leitura, de cálculo e quanto costuma gastar em cada caderno. A partir destes insights, será possível decidir melhor por onde você deverá começar a prova para atingir o máximo do seu desempenho e conquistar o resultado que precisa para entrar em uma faculdade. Existem entrevistas com professores e especialistas brasileiros defendendo, inclusive, que até simulados feitos em casa são válidos para se preparar para o Enem.

Descubra seu próprio método

Recorrer às pessoas que já passaram pelo pré-vestibular a fim de pedir dicas de estudo é um movimento válido. Entretanto, manter-se aberto a testar o quanto os métodos que lhe foram sugeridos têm contribuído ao seu aprendizado e não resistir à necessidade de mudar a sua rotina serão dois comportamentos fundamentais para que este seja o seu último ano no cursinho.

Afinal, existem vários tipos de inteligência e, para cada uma delas, milhares de formas diferentes de se aprender e memorizar conhecimentos. Algumas pessoas absorvem melhor assistindo a videoaulas, outras, fazendo extensos resumos e organogramas, enquanto há também quem só aprende por meio de exemplos práticos. Nesse sentido, não existe uma régua para medir o que é mais eficaz para todo mundo, somente o que funciona melhor ou não para você.

Portanto, após estudar por algumas semanas utilizando certo método, teste seus conhecimentos para descobrir se você deve continuar assim ou se será mais produtivo encontrar uma nova abordagem. Prevenir-se da falsa sensação de que sabe sobre determinado assunto possibilitará a você errar antes que seja tarde demais.

Tire suas dúvidas

A começar pela dúvida que talvez você tenha quanto a levantar ou não o braço durante a aula para fazer uma pergunta ao professor. Já imaginou o tamanho do arrependimento que sentiria ao ver uma questão que passou pela sua cabeça em sala de aula no vestibular, mas que você decidiu ignorar por vergonha dos seus colegas de classe? Pois é, melhor nem imaginar!

Para aliviar a tensão e ansiedade que o ambiente dos pré-vestibulares alimenta, lembre-se de que ninguém, por mais instruído que uma pessoa possa ser, sabe tudo sobre todas as coisas nessa vida. Em segundo lugar, a grande maioria das pessoas é muito boa em fingir que domina vários assuntos, mas, em verdade, tem dúvidas bastante parecidas com as suas.

Mesmo ciente disso tudo, caso você ainda se sinta mal por não ter entendido alguma explicação em sala de aula, pondere sobre o que é mais importante: aprender e acertar uma questão no Enem ou o que os outros vão pensar de você? Sempre que você optar pela primeira opção, estará um passo a frente em diversos âmbitos da sua existência, para além do cursinho.

Xô competição!

Não é incomum aderir ao isolamento social durante esta fase da vida, mas, entrar e sair do cursinho sem interagir com ninguém, evitando criar qualquer tipo de vínculo, não vai te trazer nenhum benefício. Muito antes o contrário.

Esse constante estado de alerta pela presença de possíveis concorrentes dentro de sala de aula gera ansiedade e preocupações maléficas, atrapalhando seu equilíbrio mental. Além disso, nem todo mundo lá dentro pensa dentro deste molde competitivo que, muitas vezes, acaba sendo estimulado até pelos professores.

Então, dê uma chance às pessoas que se aproximarem de você e busque encontrar aquelas que também querem fazer amizades. Assim, talvez você até consiga formar um grupo de estudos, o que tornará a longa preparação para o vestibular mais leve e muito menos estressante.

Um ano bem aproveitado

Com estes cinco passos te guiando até o Enem e aos outros vestibulares de 2022, nós sabemos que você terá feito bom proveito do seu ano, independentemente do resultado que vier após as provas. Isso porque nenhum conhecimento acadêmico é inútil e um período da vida em que foi possível descobrir mais sobre si próprio ao mesmo tempo em que fazia novas amizades não pode ser nunca considerado tempo perdido.

Além disso, se você já estiver pronto para trilhar o percurso do autoconhecimento, nós temos uma última dica. Baixe agora o e-book Humanas, Exatas ou Biológicas e encontre o curso ideal para o seu futuro!

Quero descobrir o curso ideal para mim

Escrito por Redação Afya

    Assine e mantenha-se informado!

    Receba mensalmente os assuntos mais acessados no nosso Blog.

    banners-05