Redação Afya - nov 8, 2021

Como será a radiologia no futuro

É fato consumado que muitas profissões podem ser extintas devido ao avanço tecnológico. Aconteceu isso com os datilógrafos, assim como com os operadores de telégrafo e com os cortadores de gelo nos países frios. Neste contexto, os grandes anúncios a respeito de novos equipamentos de radiologia têm causado mais incerteza do que empolgação.

Porém, temer pelo fim da carreira de radiologista não faz muito sentido. E é sobre isto que falaremos a seguir. Se você um dia já se perguntou como será a radiologia no futuro, a resposta está a sua espera nas próximas linhas.

Mais tecnológica

No início, as radiografias eram feitas por meio de equipamentos muito parecidos aos que produziam Raios-X e foram inventados por Röentgen. Depois, vários experimentos trouxeram melhorias no que se refere à qualidade das imagens e à facilidade de manusear os materiais. Quanto mais avançada era a tecnologia, melhores eram as imagens e, assim, mais precisos eram os prognósticos para os pacientes.

Em 1966, o físico francês Charles Gros criou o primeiro equipamento dedicado à mamografia. E o tomógrafo veio pouco mais tarde, desenvolvido por Godfrey Hounsfield e Alan Cormack, que receberam o Prêmio Nobel de 1979 pelo invento.

Por que nós estamos resgatando todas estas informações antigas? Simples! Nosso objetivo é mostrar que novas tecnologias fazem parte do presente tanto quanto farão parte do futuro e que esta é uma tendência inegável a qualquer âmbito da Medicina. Hoje, as tomografias mais modernas fornecem dados tridimensionais e volumétricos e são altamente sensíveis a movimentos.

Nesse sentido, podemos garantir que esta renovação fará parte do futuro da radiologia. Além disso, a combinação de tecnologias em um mesmo caso a fim de aumentar a eficácia dos diagnósticos também será prática rotineira, principalmente, quando os custos relacionados aos exames forem reduzidos.

Mais eficiente

Em amplo crescimento, as imagens moleculares e genômicas são uma tendência que todos os estudantes de radiologia deveriam acompanhar. A partir da obtenção de uma imagem deste tipo é possível que o médico visualize os processos biológicos do corpo em nível celular e molecular.

Mas o que isso significa de fato? Significa que as doenças não só poderão ser detectadas em seus estágios mais iniciais, mas que os médicos também serão capazes de prever quais células apresentam tendência a desenvolver patologias. Isto é, a radiologia daqui a algumas décadas trará mais chance de cura e/ou controle de enfermidades para a humanidade.

E ainda tem mais. Visto que a genômica estuda os genes do corpo, suas funções e sua influência no crescimento, no desenvolvimento e no funcionamento do organismo humano, haverá também a possibilidade de oferecer tratamentos personalizados aos pacientes.

Mais segura e simples

Laudos e demais documentos dos prontuários médicos totalmente digitalizados e armazenados em nuvem. Esta é uma mudança que não parece grandes coisas, mas que trará grandes avanços no que tange à segurança e a simplicidade dos procedimentos envolvidos no arquivamento de informações dos pacientes.

Primeiramente, menos papel representa mais espaço livre em clínicas, laboratórios e hospitais. Em segundo lugar, graças à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), os direitos fundamentais de liberdade e privacidade dos pacientes permanecerão plenamente garantidos.

Além disso, há ainda as vantagens de os radiologistas terem acesso remoto às imagens, o que permite a eles emitir laudos mesmo que fora do local de trabalho; facilitar a organização e o escaneamento de informações em documentos complexos, pois basta saber uma palavra e é possível localizá-la na página; e, por fim, mas não menos relevante, auxiliar a atuação de equipes multidisciplinares que poderão acessar ao mesmo tempo e em conjuntos as mesmas informações.

Mais veloz

Pois é, inteligência artificial (IA) na Medicina não é mais coisa de filme. Na verdade, ela tem um papel fundamental a desempenhar pelo futuro da radiologia. Capaz de filtrar uma grande quantidade de dados de imagem em segundos, a IA auxiliará os radiologias diariamente a serem mais eficientes e produzirem diagnósticos melhores.

Sabe aquelas listas de trabalho com mil tópicos diferentes? Por meio de dispositivos de inteligência artificial ficará mais fácil dividir as prioridades das questões que podem ser avaliadas depois. Afinal, esta seleção já estará pronta para você.

Em suma, os radiologistas terão mais tempo para atender seus pacientes, o que abrirá caminho à introdução de consultas mais humanizadas nos ambulatórios. Além disso, a velocidade em obter resultados também será muito positiva para amenizar a ansiedade dos pacientes e estabelecer relações de mais confiança entre eles e o profissional do outro lado da mesa.

Radiologistas & tecnologia: uma parceria de sucesso

Historicamente, todos os avanços tecnológicos trouxeram benefícios aos radiologistas, fortalecendo a carreira por meio de imagens melhores, que possibilitavam um diagnóstico mais preciso. Isto é, além de contribuir para o trabalho dos profissionais da área, o progresso científico também veio para oferecer mais saúde e segurança às pessoas, promovendo bem-estar.

Portanto, não se engane. O profissional de radiologia continuará sendo essencial para a Medicina no futuro e o sucesso virá àqueles que encararem a inteligência artificial e demais inovações como aliadas e não, ameaças.

A única preocupação que você deve ter, na verdade, é sobre qual em qual instituição fará o curso. E quanto a isto não tenha dúvida: escolha a IPEMED ou o tecnólogo da UNINOVAFAPI.

Inscrições abertas até março de 2022. Faça já a sua!

Escrito por Redação Afya

    Assine e mantenha-se informado!

    Receba mensalmente os assuntos mais acessados no nosso Blog.

    banners-05