Redação Afya - abr 13, 2022

5 dicas para criar o seu primeiro currículo

Em muitas graduações, a parte prática dos conteúdos aprendidos com os professores acontece apenas do lado de fora, ou seja, no mercado de trabalho. Isso porque apesar de os laboratórios acadêmicos darem uma boa noção do que é a prática, a rotina da profissão no mundo real ainda é muito diferente. Se você é desses que além de quererem muito um estágio também precisa de uma oportunidade para mudar de vida, continue lendo este artigo até o fim.

Nós da AFYA estamos aqui para te ajudar a deixar sua marca na carreira que você escolheu muito além da sala de aula. E para você sair na frente e conquistar aquela tão desejada vaga o primeiro passo é criar um currículo assertivo. Mas, não se preocupe, porque escrevê-lo será muito mais fácil com as cinco dicas que listamos abaixo. Confira!

1) Seja objetivo e destaque seus diferenciais

Embora estejamos muito acostumados com o preenchimento de dados em sites de emprego, ter um currículo em PDF com fácil acesso em nuvem é essencial para concorrer a muitas vagas. Inclusive, o próprio LinkedIn, que funciona como um documento vivo, sempre aberto a edições, oferece um campo para que você faça o upload e o utilize para se candidatar.

Muito provavelmente a primeira impressão deixada ao recrutador será por meio do seu currículo, então, não dá para vacilar. O cotidiano apressado dos RHs não dá brecha para rodeios, portanto, seja objetivo e reúna todas as suas informações pessoais como contato e histórico de trabalho em uma única lauda de Word.

É possível chamar a atenção de forma ágil, destacando seus pontos fortes, principalmente aqueles que são relevantes à vaga em questão. Mas isso não significa exagerar situações ou inventar qualidades que você não pode oferecer de fato, ok? Integridade e compromisso são as virtudes que deverão guiar a sua carreira desde o início e talvez você nunca consiga recuperar uma confiança quebrada.

Na prática, ser você mesmo é a melhor opção para que você consiga a vaga que realmente corresponde à sua personalidade e momento de vida. Assim, quando falamos de “destacar”, queremos dizer que se você é fluente em algum idioma, por exemplo, não deixe esta parte para o rodapé da página.

Por fim, lembre-se também de que estamos na era da inteligência artificial e, em muitos casos, será um robô quem vai “ler” o seu documento. Logo, utilize palavras-chave para ser identificado como potencial candidato.

2) Defina um objetivo profissional

Por mais cansativo que pareça, leva pouco tempo para criar dois ou mais currículos de acordo com seus objetivos profissionais para cada vaga. Afinal, a partir do momento que você imergir mais no seu curso, as opções se tornarão mais claras e definitivas.

Nesse sentido, reserve um espaço logo abaixo do seu nome para inserir um breve parágrafo sobre o seu perfil profissional e aspirações, levando em conta o que determinada vaga tem a lhe oferecer em termos de crescimento. Pode ser arriscado ser tão específico, mas as chances de te escolherem em meio a uma horda de candidatos declamando objetivos vagos serão muito maiores.

Além disso, como dissemos anteriormente, ouse ser você mesmo e, caso não tenha muita experiência de mercado, dizer que aspira uma chance de adquiri-la é sim um objetivo válido. Dê uma olhada nos exemplos a seguir:

“Procuro uma oportunidade de estágio/emprego em [área de atuação da vaga]  para desenvolver [X, Y, Z] conhecimentos e [A, B C] habilidades. Estou certo de que, mesmo com minha pouca experiência, posso contribuir pelo sucesso da empresa, pois sou uma pessoa comprometida, curiosa e ávida por aprender”

Desejo trabalhar na [área de atuação da vaga ou nome da empresa], pois busco um lugar que valoriza o desenvolvimento e o aprendizado. Um espaço que me permita contribuir com ideias e me inspire a vestir a camisa, enquanto aprendo com a experiência de outros profissionais.”

3) Mencione sua formação e suas atividades extracurriculares

Mesmo que você não esteja para concluir o curso ainda, estar matriculado em uma graduação faz a diferença na hora de conseguir um emprego. Isso porque houve uma valorização das habilidades que são desenvolvidas nos centros universitários, tanto pelo conteúdo ensinado quanto pela diversidade cultural que estes ambientes apresentam.

Caso você já tenha feito cursos técnicos e até em workshops livres e de curta duração, também os mencione em seu currículo sob o título ‘Formação’, começando pelo que foi concluído mais recentemente. Organize tais informações da seguinte forma:

  1. Nome curso;
  2. Nome da instituição de ensino ou entidade organizadora;
  3. Ano de conclusão ou previsão de término.

Em suma, atividades extracurriculares não contam como formação. Porém, em alguma parte do seu currículo vale colocar uma caixa de texto com o título ‘Projetos’ ou ‘Experiências Pessoais’, na qual você poderá listá-las, com a justificativa de que você pôde desenvolver soft skills essenciais para o mercado de trabalho por meio delas. Inclusive, estas habilidades também devem constar em seu currículo.

4) Faça hyperlinks para o seu portfólio on-line e LinkedIn

Enquanto seu currículo diz o que você sabe ou não fazer e como se comporta em ambientes de trabalho, o seu portfólio é a demonstração prática que serve como prova. Portanto, você pode esperar alguns semestres da faculdade para criar um, utilizando apresentações feitas em sala de aula, trabalhos realizados em projetos de extensão, entre outros registros.

Em contrapartida, entrar para o LinkedIn é uma sugestão a ser seguida o quanto antes, pois trata-se de uma rede social totalmente voltada à carreira e desenvolvimento profissional. Isto é, por meio dela você poderá se conectar com pessoas relevantes que já atuam nos mercados que você pretende ingressar daqui um tempo.

Na prática, o Instagram e o YouTube, por exemplo, podem servir como portfólio no lugar das plataformas exclusivas para este propósito. E o LinkedIn tem este lado pessoal para você compartilhar fotos quando participar de eventos interessantes, escrever artigos e fazer publicações que falem mais sobre o seu padrão de comportamento e suas preferências no trabalho.

Então, independentemente do que você escolha fazer no fim das contas, a dica mantém-se a mesma. Faça hyperlinks em seu currículo PDF para que os recrutadores possam acessar estas outras fontes de conteúdo sobre você.

5) Preocupe-se com a diagramação e com o design

Atualmente, a experiência do cliente e a do candidato estão em alta, mas você já parou para pensar que o caminho inverso também existe? Se a diagramação e a aparência do seu currículo fazem com que ele seja difícil de ler e pareça desorganizado, o recrutador automaticamente terá uma impressão ruim de você.

Nesse sentido, utilizar boas ferramentas e layouts prontos para criação do seu currículo pode ser uma forma de impedir que a sua falta de senso estético reduza suas chances de ser contratado. Afinal, ninguém precisa saber fazer tudo nessa vida e é por isso que há milhões de designers no mundo trabalhando para tornar conteúdos mais atraentes aos nossos olhos.

#Partiu mercado de trabalho!

Ficamos felizes de ver que você chegou até aqui e gostaríamos de desejar boa sorte nessa nova etapa. A primeira oportunidade para entrar no mercado de trabalho pode demorar um pouquinho, principalmente em tempos de crise como o que estamos vivendo. Portanto, não desista após o primeiro ‘não’ e mantenha o seu currículo sempre atualizado.

No mais, se você ainda nem entrou na faculdade, descubra o curso ideal para você com o nosso e-book: Humanas, Exatas ou Biológicas. Clique aqui e baixe agora!

Escrito por Redação Afya

    Assine e mantenha-se informado!

    Receba mensalmente os assuntos mais acessados no nosso Blog.

    banners-05