Redação Afya - mai 11, 2022

Graduação depois dos 30: vale a pena?

“Os 30 são os novos 20”. Você provavelmente já ouviu esta expressão alguma vez e, provavelmente, a sua reação foi de duas uma: revirar os olhos porque não se sente assim ou sentir uma breve sensação de esperança de que ainda há tempo. Bom, nós certamente não somos a favor da primeira opção e estamos torcendo para que até o final deste texto você tenha se apegado com todas as forças à segunda.

É quase certo dizer que todas as nações do planeta Terra têm seus próprios padrões de sucesso pré-estabelecidos e socialmente aceitos. No Brasil, por exemplo, há um consenso de que o ideal é entrar na faculdade logo após o ensino médio.

Nós, porém, reunimos pelo menos três ótimos argumentos pelos quais você não deveria pautar a sua vida nesse senso comum. Pois assim você mesmo poderá responder à pergunta: vale a pena encarar uma graduação depois dos 30? Eis aqui nossas ideias sobre esta questão!

Maior aproveitamento do conteúdo

Existem alguns aprendizados que realmente vêm com o tempo e, nesse sentido, a maturidade dos 30 será sua aliada na sala de aula. Alunos recém-saídos do ensino médio têm um mundo para descobrir além dentro da faculdade que, muitas vezes, torna-se uma prioridade acima dos estudos. E, embora não seja aconselhado, é natural que seja assim.

Para você, no entanto, a banda toca de outra forma. Você já conhece a diversão das novidades que a rua traz à juventude e está pronto para despender todo o seu foco no lado profissional da sua vida.

Além disso, muitas pessoas entre seus 17 e 19 anos ingressam em um curso superior por pressão familiar ou de forma compulsória, sem sequer ter certeza de quais cargos gostariam de fato de exercer no mercado de trabalho. Aos 30, estas dúvidas já não estão mais presentes.

A responsabilidade de estar pagando pela própria faculdade e saber o quanto está deixando de fazer (e de descansar) para obter um diploma farão de você um exemplo. Uma coisa que apenas o tempo ensina é a valorizá-lo e esta lição ajuda bastante na hora de recusar um convite para o barzinho que custaria um horário de conteúdo.

Não tenha dúvidas de que suas experiências pessoais, vividas nos anos que para a maioria ainda estão por vir, lhe ajudarão a fazer escolhas mais assertivas e perceber nuances diferentes sobre as mesmas matérias. Afinal, você se conhece melhor hoje do que se conhecia aos 17, certo?

Upgrade na carreira

De acordo com relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), um diploma de ensino superior garante uma remuneração média 144% mais alta no Brasil. O estudo foi publicado em 2020, portanto, mantém-se válida para o contexto profissional que estamos vivendo hoje.

Uma das razões para isso acontecer é o fato de que salários maiores estão muitas vezes atrelados a especializações. Em contrapartida, as responsabilidades consequentemente também se tornam maiores para o funcionário dotado de mais conhecimento técnico dentro das empresas. Então, esteja preparado!

Na prática, subir na carreira, mudar de setor internamente ou ainda conseguir um novo emprego são todas portas que serão abertas com a conclusão de um curso superior. Isto é, se você precisou abdicar dos estudos para entrar no mercado de trabalho logo após o ensino médio, talvez agora aos 30 seja o momento de investir parte da sua renda visando ganhos maiores no futuro.

Outra vantagem indiscutível que é oferecida pelo ecossistema acadêmico é o networking, ou seja, a rede de contatos que você vai conseguir criar lá dentro, com pessoas que têm influência do lado de fora. Não há como negar que boa parte das vagas é preenchida por indicação, pois a confiança é uma moeda rara.

Aumento da neuroplasticidade

Aqui vão mais alguns dados para você não ter dúvidas quanto aos benefícios de encarar uma graduação aos 30. Neuroplasticidade é toda reorganização feita pelo sistema nervoso, seja esta tecidual, funcional ou estrutural. E o que isso significa?

A neuroplasticidade acontece por meio de processos regenerativos, com aumento de dendritos dos neurônios, e é por meio desta célula nervosa e de suas sinapses que o cérebro armazena conhecimento. Mas o mais incrível mesmo é que lá em 2009, dois cientistas concluíram que o aumento da plasticidade acontece por meio do aprendizado assim como o aprendizado estimula a plasticidade.

Portanto, ao ingressar em um curso superior, você estará se desenvolvendo não apenas intelectual, mas também fisicamente ao melhorar a sua plasticidade neural. Com o envelhecimento, nosso sistema nervoso tende a degenerar-se, afetando nossas capacidades cognitivas. Nesse sentido, estudar é uma forma de ginástica para fortalecer o cérebro e, assim, retardar esse processo.

Use a idade a seu favor!

Mais velhos, sabemos melhor quais são os nossos valores, aptidões, limitações e dificuldades. Isso porque ao longo dos anos passamos por mais situações que exigiram de nós tomadas de decisão e conhecemos mais as nuances de quem está ao nosso redor. Se você também se sente assim, use isso ao seu favor!

O contato com pessoas de gerações mais jovens abrirá caminho para debates que podem ser profícuos para ambos os lados. Além disso, conviver com a diversidade é sempre positivo para quem está disposto a mudar pontos de vista e encontrar estratégias novas para velhos desafios cotidianos.

Em resumo, sabendo melhor quem se é também fica mais fácil decidir qual curso se quer fazer, não é mesmo? Aproveite que as inscrições para o vestibular ON-LINE E GRATUITO da AFYA estão abertas e mude o rumo da sua vida.

E se encaixar a mensalidade nos seu orçamento corrente ainda é uma questão, confira os descontos e condições especiais de cada edital.

Escolha a unidade mais próxima de você:

Escrito por Redação Afya

    Assine e mantenha-se informado!

    Receba mensalmente os assuntos mais acessados no nosso Blog.

    banners-05