Redação Afya - dez 20, 2021

5 campanhas publicitárias que fizeram história

Criatividade, expressão, histórias, pesquisa e muito planejamento. Trabalhar com Publicidade e Propaganda na Era Digital é um prato cheio de desafio, mas também de inspiração. No século passado, as pessoas compravam muito mais por necessidade e isso fazia com que as mensagens publicitárias não precisassem ir muito além das descrições do produto.

Hoje, porém, é preciso vender experiências e, principalmente, mudanças. Sua sorte é que, com as redes sociais, as pessoas estão o tempo todo dizendo o que elas querem consumir e o que elas pensam explicitamente ou nas entrelinhas. Abaixo você vai conhecer cinco empresas que souberam ouvir a sociedade e fizeram história com belas campanhas. Vamos lá?

‘Não compre esta jaqueta’ – Patagonia

Screen-Shot-2021-10-28-at-1.11.08-PM-1024x545

Quem relaciona publicidade e propaganda com consumismo vai ficar impressionado com esta campanha. Em plena Black Friday, época em que muitas empresas buscam aumentar suas vendas reduzindo preços de forma generalizada, a marca de roupas Patagonia lançou um único anúncio que aconselhava seus clientes a não comprarem seus produtos. Incrível, não?

Você deve estar achando que isso é só mais uma jogada de Marketing, mas a verdade é que toda a missão da empresa desde seu princípio foi promover a sustentabilidade. Além de produzir suas roupas com materiais eco-friendly, a Patagonia também contrata costureiras em comunidades locais para consertar as roupas de seus clientes; oferece um canal para venda de peças usadas em seu próprio site; e a cada coleção (que não são muitas) parte do estoque é doada para instituições de caridade.

Felizmente, hoje já há um leque maior de marcas buscando mudar suas cadeias produtivas, valorizando a reciclagem e matérias-primas orgânicas. No entanto, um anúncio para reduzir vendas no dia de maior consumo nos Estados Unidos é o motivo de termos escolhido esta campanha. Em 2011, a Patagonia com certeza fez história.

‘Como uma garota’ – Always

Indicado ao Primetime Prêmio Emmy na categoria ‘Melhor Comercial de TV’ em 2015, esta campanha da marca de absorventes Always surpreendeu muita gente com sua proposta ousada. De forma crua, a campanha expôs como os padrões de gênero construíram a ideia de que meninas e, consequentemente, mulheres são frágeis e piores do que homens.

Para tanto, o vídeo apresentou uma sessão de casting, na qual atrizes e atores adolescentes e adultos são solicitados a correrem “como garotas”. Depois, várias meninas entraram em cena e receberam o mesmo pedido. É impressionante o quão diferente foram as atuações de um grupo em relação às do outro que, em sua maioria, diferenciava-se do primeiro apenas pela idade.

Por fim, os diretores ainda fizeram algumas perguntas. A primeira, direcionada aos espectadores, foi: “quando ‘como uma garota’ tornou-se um insulto?”. Já os atores foram questionados sobre o que significa “como uma garota” para eles, se isso é uma coisa boa ou ruim, e quais conselhos as atrizes mais velhas tinham para oferecer às mais novas. Definitivamente, esta é uma campanha de grande teor social, que mudou a vida de muitas pessoas.

‘Igualdade’ – Nike

Esta campanha de 2017 foi veiculada logo após o então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sancionar novas leis imigratórias no país. Com o slogan “Igualdade não deve ter limites” e a participação de várias personalidades famosas do esporte e de Hollywood, como LeBron James, Megan Rapinoe e Michael B. Jordan, a Nike fez o mundo inteiro prestar mais atenção às mudanças que, na prática, estavam acontecendo também em outros territórios.

Junto ao vídeo, a marca esportiva também publicou um texto de apoio com as seguintes frases: “Oportunidades deveriam ser não discriminatórias”; “A bola deveria quicar da mesma forma para todos”; e “Onde você é definido pelas suas ações e não pela sua aparência ou por suas crenças”, entre outras. Tudo isso depois de provocar a reflexão das pessoas questionando-as se esta é a terra que a História prometeu.

Em outros países, talvez tal pergunta não tenha causado tanto burburinho e engajamento nas redes sociais. Mas, para os norte-americanos, a mensagem foi clara, pois se referia diretamente ao hino nacional dos Estados Unidos em cujos versos o país é definido como a terra da liberdade.

‘Verdade’ – American Legacy Foundation

Por muito tempo, o ato de fumar foi visto como algo legal, poderoso e até atraente. Antes de a veiculação de propagandas de cigarros ser proibida na TV, no rádio, entre outros meios de comunicação, os anúncios destes produtos se pareciam muito com os de bebidas alcoólicas, vendendo um estilo de vida. E é por ter se apropriado deste conceito que a American Legacy Foundation, hoje chamada Truth Initiative, entrou para esta lista.

Em 2000, não fumar assumiu o posto de ‘ato subversivo e descolado’ quando 1.200 “sacos de corpos” foram colocados diante da sede da Phillip Morris: uma multinacional produtora de tabaco. Os sacos representavam o número de mortes por causa do fumo que aconteciam por dia à época.

De acordo com um estudo publicado no International Journal of Environmental Research and Public Health, a fundação já conseguiu prevenir que pelo menos 300 mil jovens começassem a fumar. Esta campanha é um bom exemplo de que publicidade nem sempre está associado a vender coisas, mas ideias.

O causo da Afrodite – Shell

Em 2019, a filial da petrolífera Shell no Brasil abandonou a publicidade convencional e deu um passo a frente de seus concorrentes. Ao escolher a estratégia de branded content, ou seja, para a produção de conteúdo relevante ao seu público-alvo, a empresa defendeu seus valores e ampliou sua presença no mercado.

Mas não foi nesse sentido que a Shell foi de fato inovadora. Selecionamos o case da série De Causo Em Causo para esta lista porque uma das histórias representadas foi a de Afrodite: uma caminhoneira transexual pra lá de orgulhosa. Em um meio dominado por homens cisgêneros, a palavra dela talvez tenha sido a primeira com a qual outras pessoas puderam se enxergar exercendo a profissão.

No fundo, todos sabem que a série também é uma propaganda. Porém, colocando pessoas reais para contarem histórias verdadeiras, a multinacional conseguiu que, em vez de esperar cinco segundos para pular um anúncio, o seu público buscasse pela série no YouTube e compartilhasse seus vídeos com amigos que também pudessem se identificar.

Publicitários mudam o mundo

Escrevemos este artigo, pois sabemos que muitos de vocês se questionam sobre qual será o impacto do seu trabalho na sociedade antes de escolherem um curso de graduação. Será negativo ou positivo? Minha profissão estará alinhada aos meus valores ou não?

Vale ressaltar que, os exemplos que listamos acima são apenas cinco de uma infinidade de campanhas publicitárias que foram criadas com o propósito de fazer o mundo um lugar melhor para todos. Um lugar com mais diversidade, tolerância e consciência. Então, se Publicidade e Propaganda é a sua primeira opção, não desista desta área tão incrível e transformadora.

Agora, puxando a sardinha para o nosso lado, nós temos duas últimas sugestões. Escolha um centro universitário Afya para concretizar a sua formação superior com o que há de melhor em ensino.

Estude no UNIDEP em Pato Branco (PR) ou no UNIFIPMoc em Montes Claros (MG).

Escrito por Redação Afya

    Assine e mantenha-se informado!

    Receba mensalmente os assuntos mais acessados no nosso Blog.

    banners-05